Café Filosófico fala sobre melancolia em série com curadoria de Maria Rita Kehl

0
226

No domingo, dia 9 de abril de 2017, o Café Filosófico dá início a uma série de três episódios que abordam o tema melancolia, sob curadoria de Maria Rita Kehl. O primeiro, intitulado Melancolia na infância, é discutido pela psicóloga e psicanalista Julieta Jerusalinsky. Além dela, a arquiteta e urbanista Ermínia Maricato e o filósofo Vladimir Safatle participam, respectivamente, dos episódios seguintes. Vai ao ar às 21h, na TV Cultura.

Maria Rita Kehl_Foto Jair BertolucciNascida em Campinas (SP), Maria Rita Kehl é ensaísta, jornalista e psicóloga formada pela Universidade de São Paulo (USP). Se formou mestra em Psicologia Social pela mesma universidade e doutora em Psicanálise pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Em 2010, foi vencedora do Prêmio Jabuti de Literatura na categoria “Educação, Psicologia e Psicanálise”, com o livro O Tempo e o Cão, e recebeu o Prêmio Direitos Humanos do governo federal na categoria “Mídia e Direitos Humanos”.

Os episódios tutoreados por ela giram em torno de questões ligadas à melancolia, uma forma de sofrimento que torna a pessoa apática, mergulhada em uma grande tristeza.

Para dar início às discussões, Melancolia na infância foca no desequilíbrio deste sentimento quando extrapola os limites do individual e se torna coletivo, principalmente quando atinge um número crescente de crianças. Pensando nisso, Julieta Jerusalinsky alerta sobre o que acontece no momento em que a criança desiste até mesmo de sonhar e se entrega ao mundo do “tanto faz”.

Já em Melancolia na desigualdade urbana, Ermínia Maricato adverte para um alto grau de desencanto e solidão nas metrópoles. Em vez de as cidades serem espaços de convivência e socialização, as más condições de moradia, a dificuldade de mobilidade e ausência de espaços de lazer levam seus cidadãos a um estado de melancolia coletiva.

Finalizando as reflexões acerca do tema, Melancolia no poder discorre sobre o bloqueio e paralisação da imaginação e do desejo de agir. Vladimir Safatle palestra sobre o que acontece quando se deixa de acreditar que é possível mudar uma situação ou que vale a pena imaginar novos caminhos e ousar novas possibilidades.

Sem comentários

Deixe uma resposta