Chuvas fortes na zona oeste representam quase 50% do esperado para o mês

0
251

As fortes chuvas que caíram na quinta-feira (20/10/2016) na zona oeste da capital representaram quase 50% do volume esperado para o mês de outubro. Na manhã de sexta-feira (21) seis subprefeituras tiveram estado de atenção para escorregamentos, decretado pelo Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE): Lapa e Butantã, na zona oeste; Casa Verde, Freguesia do Ó/Brasilândia, Perus e Pirituba/Jaraguá, na zona norte.

lapa_chuva_01Durante o temporal, na região do Mercado da Lapa, um homem foi eletrocutado por conta da queda da fiação elétrica e socorrido para a Assistência Médica Ambulatorial (AMA) do Hospital Sorocabana, mas não resistiu e morreu.

A passagem subterrânea Toca da Onça, na região da Lapa, foi inundada durante as chuvas. O local possui bomba de drenagem que auxilia no escoamento das águas. Na madrugada de sexta-feira (21), agentes da subprefeitura efetuaram a limpeza do local, que já está aberto aos pedestres.

A região oeste foi a mais atingida pelas águas, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Somente no medidor da Lapa, foram registrados 64,6 mm de chuva. Na subprefeitura Pirituba/ Jaraguá, foram registrados 58,4 mm de precipitação e 47,6 mm em Pinheiros. O esperado para todo o mês de outubro é de 110 mm.

A média em toda a capital paulista foi de 13,1 mm e na zona oeste, chegou a 49,8 mm, a maior da cidade – quase 50% do esperado para todo o mês de outubro. “As altas temperaturas, combinadas com a entrada do ar frio do mar, causaram essa chuva, que foi semi-estacionária e não teve um deslocamento rápido. Choveu em grande quantidade e por um longo tempo em uma mesma região, que foi essa da zona oeste”, afirmou o meteorologista do CGE Adilson Nazário.

Em Perus, o volume pluviométrico registrado foi de 41,6 mm. O CGE decretou estado de alerta na região às 18h25 por conta do extravasamento do Córrego Perus, na região da Praça Inácio Dias. O estado de alerta permaneceu até as 19h, quando toda a cidade retornou ao estado de observação. Outras regiões entraram em estado de atenção, mas também retornaram à observação.

Sem comentários

Deixe uma resposta