Hospital Brasilândia começa a virar realidade

2
389

hospital brasilandia maquete

 

No domingo, dia 5 de julho de 2015, o prefeito Haddad fará ato inaugural da obra, que será construído na área do CDC Augustinho Vieira, na Estrada do Sabão, altura do número 800, terreno municipal, a custo zero. A empresa licitada foi escolhida e os recursos para a primeira fase da obra já estão garantidos – provenientes da venda de imóvel da Prefeitura, em Santana, Zona Norte, através de licitação pública. A solução foi proposta pelo vereador Paulo Frange ao prefeito Fernando Haddad. Sem isso, a obra não seria iniciada neste ano.

O prédio deverá ser entregue no final de 2016, segundo previsão da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras. No domingo inicia-se a primeira etapa da construção, com a limpeza do terreno e a instalação de canteiro de obras. As obras serão tocadas pelas empresas Engeform e Construbase, vencedoras da licitação, e que formam o Consórcio HM Brasilândia.

“Faz 18 anos que acompanho esse calvário. A falta de equipamentos de saúde em Vila Brasilândia chega a ser cruel”, disse Paulo Frange, médico e vereador, que considera o início da obra uma Justiça para com o povo do distrito Brasilândia.

Eleito pela primeira vez em 1997, Frange, desde então, vem se dedicando ao tema e colocando no Orçamento do Município (a partir de 1988) verbas destinadas ao projeto do Hospital e tem visto os prefeitos se sucederem e protelarem a construção do Hospital.

As esperanças se renovaram com Fernando Haddad, que priorizou dentre suas metas de governo a construção de pelo menos três hospitais em bairros sem leito algum, entre eles o do distrito Brasilândia.

2 COMENTÁRIOS

  1. Casa de Lua promove último módulo de oficinas de comunicação e feminismo em praça de SP

    Projeto criado por ONG feminista foi selecionado pelo edital da Prefeitura de São Paulo Redes e Ruas e encerra suas atividades no final de agosto.

    Técnicas de escrita, gravação de registros em áudio e vídeo e muitas conversas sobre o ser mulher. Este é o foco do projeto elaborado por integrantes da ONG feminista Casa de Lua, “Nossas vozes, nossos saberes, nosso poder”, que terá suas últimas oficinas gratuitas nos sábados de agosto (dias 1, 8, 15, 22 e 29), às 10h, na praça de wifi livre Lourenço de Bellis, na zona norte da capital. A ação, que está em seu terceiro módulo, iniciou-se em janeiro deste ano.

    Os encontros propostos pelo projeto buscam introduzir a turma a técnicas de pesquisa, narração de histórias, entrevista, produção e edição de textos, áudios e vídeos, bem como a plataformas que podem ser utilizadas para colocar todo o conteúdo disponível online.

    A proposta é que a turma de meninas e mulheres usem essas ferramentas e as peças de comunicação produzidas para contar as próprias histórias, trocar conhecimentos entre si e, ainda, para refletir sobre sua condição de mulher, a vida na periferia, as distribuições do trabalho dentro de casa e sua atuação no mercado profissional. Com essas trocas, o objetivo é permitir que as alunas construam sua própria voz na internet, descubram recursos importantes para as suas vidas, conectem-se a outras mulheres e se sintam mais empoderadas e orgulhosas de seus saberes.

    “Nossas vozes, nossos saberes, nosso poder” foi um dos 59 projetos contemplados pela primeira edição do edital Redes e Ruas para seleção e apoio a projetos de inclusão, cidadania e cultura digital para a cidade de São Paulo, uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura, Serviços, Direitos Humanos e Cidadania.

    As mulheres que queiram participar das oficinas podem se inscrever no local nos dias das oficinas ou pelo endereço: http://casadelua.com.br/nossasvozes/inscreva-se/. O projeto oferece cuidadoras para os filhos, netos e outras crianças que estejam acompanhando as participantes.

    SERVIÇO:
    Oficinas do projeto “Nossas vozes, nossos saberes, nosso poder”
    Quando: 1, 8, 15, 22 e 29 de agosto, sábados, às 10h
    Onde: Praça Lourenço de Bellis, Vila Medeiros, zona norte de São Paulo (http://goo.gl/XwLz1v)
    Quanto: grátis
    Inscrições: no local ou pelo endereço http://casadelua.com.br/nossasvozes/inscreva-se/
    Mais informações: Martha Lopes
    marthalopes@gmail.com
    (11) 98346-4537

    Fonte: Casa de Lua

Deixe uma resposta